As conquistas e os gargalos do agronegócio

Publicado em 19/01/2015 às 12h01

O Paraná conquistou a quarta posição entre os estados brasileiros com o maior índice de competitividade no agronegócio. Os dados são de um estudo realizado no ano passado pela Confederação Nacional da Agricultura (CNA) com base em informações compiladas sobre o setor no ano de 2011. No ranking geral, o Paraná ficou atrás dos estados de São Paulo, Santa Catarina e Distrito Federal. Para a realização do levantamento foram analisados aspectos relacionados à infraestrutura, educação, saúde, ambiente macroeconômico, inovação e mercado de trabalho. Marcelo de Ávila, economista da CNA, explica que o estudo foi criado para medir a competitividade do agronegócio por estado e, assim, traçar estratégias para o setor.

Dentre os muitos indicadores avaliados pela entidade, o Paraná apresentou alguns resultados bons e outros nem tanto. No quesito infraestrutura, por exemplo, o Estado ficou em quarto lugar, atrás de São Paulo, Rio de Janeiro e Santa Catarina. O Paraná se destaca na terceira posição quanto à movimentação portuária, e neste ponto perde apenas para São Paulo e Santa Catarina. Alguns segmentos ligados à infraestrutura paranaense, no entanto, apresentaram resultados nada animadores. Um deles é a densidade ferroviária do Estado, que ficou na 9° posição no ranking nacional. Em relação à qualidade das ferrovias, o Paraná ficou em terceiro lugar, com São Paulo e Rio de Janeiro à frente.

No quesito educação, cujos indicadores levam em conta as taxas de aprovação rural, abandono escolar, analfabetismo e distorção de idade em relação à série que o aluno cursa, o Paraná ficou na terceira posição, atrás de Santa Catarina e São Paulo. O estudo apontou ainda que no Estado 89,4% dos alunos foram aprovados nos ensinos fundamental e médio nas escolas rurais em 2011, em Santa Catarina o índice sobe para 94,2% e em São Paulo para 90,05%.

Quando o assunto é inovação no Paraná, o levantamento apontou um resultado não tão interessante. O Estado ficou na sétima posição entre aqueles que possuem bons índices nessa categoria. Em número de patentes per capita, por exemplo, o Estado ficou com a quarta colocação. Mas, em termos de investimentos em pesquisa per capita, a colocação caiu para a 18° posição. O Distrito Federal, segundo o estudo da CNA, é o que mais investe nesse aspecto.

Norberto Ortigara, secretário estadual da Agricultura e do Abastecimento, diz respeitar o estudo, mas não concorda com o resultado sobre inovação. Ele explica que a análise só levou em conta os projetos que passam pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ), não contabilizando os estudos desenvolvidos pelas entidades do Estado, a exemplo do Instituto Agronômico do Paraná (Iapar) e do Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar). Ávila, economista da CNA, confirma que os trabalhos desenvolvidos pelas instituições estaduais não foram computados nesse levantamento.

MACROECONÔMICO


No aspecto de ambiente macroeconômico ligado ao setor agropecuário, o Paraná ficou na terceira colocação, atrás de São Paulo e Mato Grosso. Em termos de variação do Produto Interno Bruto (PIB) agropecuário, o Estado ficou na 12° posição. No ranking do indicador de arrecadação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS) em proporção ao PIB, o Estado situou-se na sétima posição. O mercado de trabalho paranaense para o setor ficou na sétima posição do ranking da CNA, levando-se em conta questões como contratações e demissões. Goiás liderou o índice.

Mesmo perdendo algumas posições para outros estados, o secretário de Agricultura destaca que a atividade paranaense é altamente competitiva, mesmo recebendo poucos investimentos por parte do governo federal para investir em inovação. "Nosso posicionamento no índice da CNA deveria ter sido melhor, mas respeito o estudo", observa. Ortigara destaca que o Paraná possui o solo mais protegido do Brasil, com uma boa infraestrutura, principalmente em relação às pequenas e médias propriedades, fatores que também contribuem para a obtenção de um agronegócio altamente competitivo.

 

Fonte: Folhaweb

Categoria: Agronegócio, Paraná
Tags: Agronegócio, Competitividade, Paraná

Enviar comentário

voltar para Notícias

left tsN fwR uppercase show|left tsN fwR uppercase bsd b01s|left fwR uppercase show bsd b01s|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd c10|fsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase b01 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase bsd b01|content-inner||