Campus da UFPR em Jandaia se prepara para expansão

Publicado em 25/08/2017 às 11h02

O campus avançado Jandaia do Sul da UFPR (Universidade Federal do Paraná) aguarda o lançamento do edital de licitação para iniciar as obras do campus em um terreno de dez alqueires doado pela prefeitura do município, localizado na Região Metropolitana de Maringá. A expectativa é começar a construção no início de 2018 e inaugurar a estrutura ainda no ano que vem. Hoje, o campus funciona em dois blocos alugados da Fafijan (Faculdade Jandaia do Sul). 

"O projeto do campus está pronto, abrimos licitação, duas empresas venceram a parte das estruturas e no final de agosto elas vão entregar o orçamento e o projeto completo do campus. Aí nós vamos lançar a licitação das obras", explicou o diretor do campus avançado, Eduardo Teixeira da Silva. A fase um do projeto prevê um bloco com salas de aula e outro de laboratórios. 

A UFPR instalou-se em Jandaia do Sul em 2014 após uma comissão confirmar o potencial da região. Com a expansão da estrutura, a expectativa é aumentar a oferta de cursos, com a implantação das faculdades de direito, administração e ciências contábeis. Também está nos planos a implantação do curso de pós-graduação em agronegócio para atender tanto os atuais alunos que irão concluir em breve a graduação como os profissionais das cooperativas agrícolas da região. 

Dentro de dois anos, a unidade de Jandaia deverá passar de campus avançado para setor. A mudança de status acontece após a formatura da primeira turma. Hoje, a UFPR mantém no Estado 15 setores e um campus avançado. Treze setores funcionam em Curitiba, um está instalado em Matinhos (Litoral) e outro em Palotina (Oeste). "O motivo da escolha por Jandaia foi em razão da posição geográfica, que é estratégica. Estamos a 40 quilômetros de Maringá e a 80 quilômetros de Londrina. Então, quem vai para o Oeste, Norte ou Sul do Paraná, passa pela cidade. As rodovias que estão aqui no entorno facilitam muito a locomoção até Jandaia e a região tem um potencial imenso de desenvolvimento na área do agronegócio, que é o forte da região e tem a ver com os cursos ofertados. E os cursos que têm aqui não são ofertados pela UEL e pela UEM", ressaltou Silva. 

O campus de Jandaia oferece cinco cursos: engenharia agrícola, engenharia de alimentos e engenharia de produção, além de licenciaturas em computação e em ciências exatas, que se abre em química, física e matemática. Segundo o diretor, com exceção de engenharia de produção, os outros cursos já foram avaliados pelo MEC (Ministério da Educação e Cultura) e tiveram conceito 4 de um máximo de 5. 

A UFPR só oferece os cursos de engenharia agrícola e de alimentos no campus de Jandaia e a exclusividade acaba atraindo alunos de todas as partes do Brasil. Entre os 780 estudantes matriculados, 40% são da região. Os outros 60% são oriundos de outros estados, como Amazonas, Bahia, Rondônia e Rio Grande do Sul. Um deles é Adilson Sena Junior, que é paulista, mas morava em Porto Velho (RO). Ele está no oitavo período de engenharia agrícola e ingressou na universidade pelo Sisu. "Vim do Instituto Federal de Rondônia, que existe há dez, 15 anos e ingressei em uma universidade com mais de cem anos", compara. Ele se diz satisfeito com a escolha, mas para se manter na instituição são fundamentais os auxílios que recebe, como isenção de pagamento no Restaurante Universitário e Probem (Manutenção aos Estudantes de Graduação e Ensino Profissionalizante). Após a conclusão da graduação, planeja permanecer na região, onde observa um farto campo de atuação a ser explorado. 

A unidade tem 36 professores que trabalham em regime de dedicação exclusiva e 36 técnicos, mas aguarda o incremento do corpo de funcionários. A meta é aumentar em 26 o número de docentes e contratar outros 32 técnicos. "O MEC já liberou e ainda neste ano devemos receber uma parcela dos docentes que estão faltando", disse o o diretor. 

VESTIBULAR 


A cada ano, são ofertadas 50 vagas para cada um dos cursos, num total de 250 vagas. O vestibular 2017/2018 da UFPR está com as inscrições abertas até 14 de setembro. A primeira fase do concurso acontece em 29 de outubro e a segunda fase, nos dias 26 e 27 de novembro. Os candidatos poderão fazer as provas em qualquer campus ou setor da UFPR existente no Estado para qualquer um dos 129 cursos que a universidade oferece. As inscrições devem ser feitas no endereço www.nc.ufpr.br . 

No campus são ofertados cinco cursos: engenharia agrícola, engenharia de alimentos e engenharia de produção, além de licenciaturas em computação e em ciências exatas
No campus são ofertados cinco cursos: engenharia agrícola, engenharia de alimentos e engenharia de produção, além de licenciaturas em computação e em ciências exatas



Parcerias aproximam acadêmicos das tecnologias 

Nos mais de três anos de existência do campus avançado Jandaia do Sul, a UFPR (Universidade Federal do Paraná) estabeleceu algumas parcerias com empresários e entidades tanto do município e de cidades próximas. Entre os parceiros estão o Conselho de Desenvolvimento do Vale do Ivaí e a Prefeitura de Mandaguari, que resultou na criação do Ceti (Centro de Empreendedorismo, Tecnologia e Inovação), naquele município. 

"Reunimos cerca de 50 empresários e a ideia é criar centros com laboratórios abertos à comissão acadêmica e empresas para atender a demanda daquela região", explicou o professor do campus avançado e coordenador do Ceti, José Eduardo Padilha. "O objetivo é fomentar a pesquisa e o desenvolvimento de tecnologias em várias áreas, com a criação de seis laboratórios", disse. 

Professor do Colegiado de Engenharia, Eduardo César Meurer ressalta a parceria com uma indústria de bebidas e outra da na área de ciência e biotecnologia. "A empresa atua em toda a América Latina e nos pediu ajuda para montar um laboratório de tecnologia em Cambira (Região Metropolitana de Maringá) para trabalhar com o espectrômetro de massa. A empresa já identificou que o adubo que produz aumenta a produtividade da soja, mas não sabe qual o mecanismo biológico que faz com que isso aconteça. No laboratório serão analisadas as proteínas do grão. O investimento é de R$ 10 milhões e vamos auxiliar na montagem, treinamento e indicação de equipamentos e a ideia é estreitar os laços de pesquisa quando o laboratório estiver pronto." Na indústria de bebidas, a universidade ficará encarregada de fazer o controle de qualidade da cachaça comprada dos fornecedores. (S.S.) 

Por dentro do computador 

Muito além de formar professores de computação aptos a lecionarem no ensino fundamental e médio, o objetivo do curso de licenciatura em computação da UFPR em Jandaia do Sul é formar profissionais que possam oferecer treinamento a funcionários de empresas e indústrias para que possam dominar os recursos tecnológicos, além de ensinar programação e desenvolvimento de sistemas, formando programadores como qualquer faculdade de computação. "A pessoa tem que se capacitar para usar as tecnologias de modo adequado", diz o vice-coordenador do curso, Alexandre Züge. "Toda a população tem acesso a smartphones e computadores, mas não aproveita todos os recursos que eles oferecem. Hoje, a educação básica em computação é semi-amadora no Brasil. Quando um país supera a falta de inclusão digital e passa a ter domínio dos recursos tecnológicos, o resultado é um grande desenvolvimento econômico", avalia. 

O ensino a distância, que se expande rapidamente pelo País, também é um campo amplo de atuação para o profissional formado em licenciatura em computação, que aprende a ter o domínio da infraestrutura e dos recursos pedagógicos para ensinar nessa modalidade de ensino. 

O curso da UFPR também desenvolve um projeto de iniciação científica e outro de extensão, denominado Por Dentro do Computador, no qual apresenta os conceitos de hardware com todos os componentes de um computador produzidos em escala aumentada. O projeto é voltado prioritariamente a escolas, mas também visita outros ambientes, como agências bancárias. "A gente quer chamar a atenção do público para que as pessoas compreendam a estrutura de um computador", explicou o coordenador do curso, Carlos Roberto Beleti Junior.(S.S.)

 

Fonte: Folha de Londrina

Enviar comentário

voltar para Notícias

left tsN fwR uppercase show|left tsN fwR uppercase bsd b01s|left fwR uppercase show bsd b01s|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd c10|fsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase b01 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase bsd b01|content-inner||