Cidades paranaenses são destaque em ranking de saneamento

Publicado em 04/05/2015 às 09h53

Dados do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS-2013), divulgados esta semana pelo Instituto Trata Brasil, colocam o Paraná na contramão do País em relação às condições de saneamento básico. Enquanto o Brasil teve avanço tímido nos indicadores, o que compromete a meta de universalização em duas décadas, o Estado tem três entre as cinco cidades melhores avaliadas.

No ranking que leva em consideração fatores como atendimento de água, coleta e tratamento de esgoto, e investimentos no setor nas cem cidades mais populosas do País, Maringá, Londrina e Curitiba aparecem no grupo dos cinco municípios melhores avaliados. Franca (SP) lidera a lista, com nota 9,55, seguida por Maringá, Limeira (SP), Londrina e Curitiba. Entre as 15 melhores, aparecem ainda Ponta Grossa (8a) e Cascavel (11a).

Em relação ao estudo do ano anterior, Maringá continuou em segundo lugar no ranking e os outros seis municípios paranaenses abrangidos pelo estudo subiram de posições. Curitiba saltou da 9a para a 5a posição. Londrina, que ocupava a 13a posição no levantamento anterior, passou ao 4o lugar. Ponta Grossa era a 11a colocada e passou à 8a. Cascavel, da 27a para 11a; Foz do Iguaçu melhorou 14 posições. Estava na 40a e agora está na 26a. São José dos Pinhais era 61ª e subiu para o 51a posição.

Todas as cidades relacionadas são atendidas pela Sanepar. O presidente da companhia de saneamento, Mounir Chaowiche, comemorou os resultados. "O estudo do Trata Brasil reflete o trabalho consistente da nossa equipe na área de planejamento, os investimentos que temos feito de maneira progressiva a cada ano e a operação dos sistemas de água e de esgoto, com muitos avanços na qualidade dos nossos serviços. A equipe da Sanepar trabalha fortemente para manter os índices de atendimento com água tratada e, especialmente, ampliar e implantar serviços de coleta e tratamento de esgoto", disse Chaowiche.

Na avaliação geral que abrange todos os 399 municípios, o Estado também apresenta bons índices. Do total de 10,9 milhões de habitantes, 91,15% têm acesso à abastecimento com água tratada, segundo melhor percentual do País, atrás apenas de São Paulo, que tem 95,85% de rede de água. Em relação a coleta de esgoto, o Paraná é o quarto no ranking, abrangendo 60% dos moradores. Neste item, São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro lideram.

Daniel Costa dos Santos, engenheiro civil e professor do Departamento de Hidráulica e Saneamento da Universidade Federal do Paraná (UFPR), observa, no entanto, que na avaliação do sistema de esgoto, além da coleta, tem que se observar os níveis de tratamento. Neste quesito, o Paraná ocupa o primeiro lugar com 63,75% de esgoto tratado em referência à água consumida, seguido por São Paulo (53,34%) e Bahia (46,56%). "Muitos gestores fazem alarde com níveis de coleta, mas em uma análise mais cuidadosa percebemos que o tratamento é baixo. Desta forma, só transferem o problema, poluindo outras áreas", expôs.

Após analisar os dados do SNIS, Santos elogiou os resultados em fornecimento de água tratada no Estado, mas considerou razoáveis os índices que se referem ao esgoto. "O esgotamento sanitário é o grande calcanhar de Aquiles das instituições. O Paraná tem uma situação privilegiada em relação a outros estados, mas ainda há muito o que avançar", comentou o professor.

 

 

Fonte: Folhaweb

Categoria: Investimento, Norte do Paraná, Paraná
Tags: Paraná, Saneamento

Enviar comentário

voltar para Notícias

left tsN fwR uppercase show|left tsN fwR uppercase bsd b01s|left fwR uppercase show bsd b01s|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd c10|fsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase b01 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase bsd b01|content-inner||