Exportações paranaenses para China cresceram 78%

Publicado em 02/05/2016 às 14h16

O Paraná exportou 78% mais para a China no primeiro trimestre desse ano, impulsionado pelos embarques de soja em grão. As exportações para os chineses passaram de US$ 467,9 milhões para US$ 837,4 milhões. A China é o principal destino das exportações do Paraná, que somaram, incluindo todos os destinos, US$ 3,34 bilhões nos primeiros três meses do ano. A China, com 24,89% de participação, está à frente da Argentina, com participação de 8,06% e Estados Unidos (5,05%).

Apesar da desaceleração do crescimento do país asiático, o apetite chinês pela soja exportada pelo Estado vem crescendo. Os embarques de soja em grão mais que dobraram no primeiro trimestre, com avanço de 103% sobre o mesmo período do ano passado. Passaram de US$ 351,8 milhões para US$ 714,1 milhões. “A China vai crescer 6%, ao invés de 10%, 12% como nos últimos anos, mas há uma preferência dos chineses pela soja brasileira e paranaense, pela sua qualidade e alto potencial de geração de óleo. Com isso, a demanda segue firme pela soja do Estado”, afirma Julio Suzuki Junior, diretor-presidente do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico Social (Ipardes).

A atual safra da soja, que está em fase final de colheita, somou 16,7 milhões de toneladas, de acordo com Marcelo Garrido, economista do Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria estadual da Agricultura e do Abastecimento. “A China é destino de 90% da soja em grão produzida no Paraná. E deve continuar a crescer, porque além da população expressiva, a China vem apresentando aumento de consumo de carne. E boa parte da soja paranaense, por exemplo, vai para a produção ração de suínos”, acrescenta.

Embora a soja represente 85% dos embarques do Paraná para a China, outros produtos também tiveram crescimento.

A China vem se tornando um destino importante para a venda de carne de frango. No primeiro trimestre, as exportações de carne de frango in natura somaram US$ 80,7 milhões, 51,3% mais do que em igual período do ano passado. “O consumo de carne de frango per capita dos chineses ainda não é tão elevado, o que representa um bom potencial para crescimento. O avanço da China é interessante em um momento que as vendas externas de frango apresentam tendência de estabilidade”, diz Suzuki Júnior.

As vendas do setor madeireiro também aumentaram para a China. Maior produtor e exportadora de madeira do País, o Paraná enviou US$ 3,36 milhões em madeira serrada para a China, o que representou um avanço de 40,3% sobre o primeiro trimestre de 2015. Na mesma base de comparação, as vendas de painéis de fibra ou partículas de madeira somaram US$ 2,28 milhões, 679,3% mais do que nos primeiros três meses do ano passado.

A previsão é que as exportações para a China se mantenham em alta. “O Paraná deve seguir faturando com o consumo chinês e o dólar favorável deve ajudar também outros setores a aumentar exportações”, afirma Suzuki Júnior.

 

Fonte: Agência de Notícias do Paraná

Categoria: Agronegócio, Cenário Macroeconômico, Comércio Exterior, Investimento, Norte do Paraná, Paraná

Enviar comentário

voltar para Notícias

left tsN fwR uppercase show|left tsN fwR uppercase bsd b01s|left fwR uppercase show bsd b01s|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd c10|fsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase b01 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase bsd b01|content-inner||