INTERNET DAS COISAS DEVE GERAR US$ 8 BI NO BRASIL

Publicado em 02/02/2018 às 09h39

O ecossistema brasileiro de Internet das Coisas -- nome dado à revolução que vai conectar todos os objetos à nossa volta -- deve gerar US$ 8 bilhões em 2018, em crescimento de cerca de 14% na comparação com o ano passado, de acordo com dados divulgados pela consultoria IDC Brasil nesta terça-feira, 30, em evento realizado em São Paulo.

De acordo com Pietro Delai, gerente de pesquisa e consultoria da área de Infraestrutura da consultoria, o setor será beneficiado neste ano pela definição de ações governamentais para destravar investimentos e realização de projetos.

“Os elementos básicos para que o mercado evolua estão postos”, diz o analista.

É o caso da divulgação do Plano Nacional de Internet das Coisas, feito pelo Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTIC) e pelo Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) no ano passado, responsável por definir as prioridades para exploração da tecnologia no País, e a definição de tarifas para dispositivos conectados pela Anatel, prevista para o primeiro trimestre de 2018.

Segundo Delai, dos 55 casos de uso medidos pela consultoria em diversas áreas de Internet das Coisas – como saúde, infraestrutura urbana, indústria e agricultura – apenas 7 não devem crescer em pelo menos dois dígitos até 2021.

Os valores incluem gastos com sensores, sistemas de coleta e armazenamento de dados, computação em nuvem e inteligência artificial para análise das informações coletados por dispositivos conectados, explica o analista.

Em casa 

A consultoria também revelou dados a respeito da utilização de dispositivos conectados – como câmeras de segurança e aparelhos de ar condicionado – nas casas dos brasileiros.

Segundo a IDC, 4% das residências brasileiras já possuem algum aparelho residencial do tipo ligado à internet.

Hoje, a consultoria vê entraves para o crescimento dessa estatística no País: entre eles, está o custo dos aparelhos conectados, hoje em sua maioria importados, e a barreira da língua para utilização de comandos de voz.

“A indústria quer vender e o usuário quer comprar, mas ainda falta todo mundo falar a mesma língua -- no caso, o português”, diz Reinaldo Sakis, gerente de pesquisa para o mercado de dispositivos de consumo da IDC Brasil.

Em 2018, o mercado para consumo doméstico de Internet das Coisas deve gerar US$ 612 milhões no País, segundo previsão da consultoria.

Segundo a consultoria, o mercado de telecomunicações brasileiro deverá ficar praticamente estável em 2018, com uma leve baixa de 0,1%.

Enquanto isso, o setor de TI deverá registrar crescimento de 5,8% no ano. Ao todo, o mercado de tecnologias de informação e comunicação (TIC) deve registrar alta de 2,2% em 2018 – a consultoria, porém, não revelou números de faturamento para o setor.

 

Fonte: Revista PEGN

Enviar comentário

voltar para Notícias

left tsN fwR uppercase show|left tsN fwR uppercase bsd b01s|left fwR uppercase show bsd b01s|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd c10|fsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase b01 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase bsd b01|content-inner||