Londrina é a segunda cidade a receber portal da IBM

Publicado em 30/11/2015 às 14h36

Incentivar o empreendedorismo digital e a criação de startups é o objetivo do portal londrina.digital - parceria entre a IBM e a Prefeitura lançada nesta semana. Londrina é a segunda cidade do País a contar com a iniciativa, depois de Porto Alegre. Há ainda nove outras pelo mundo, incluindo a de Nova York, implementada no final do ano passado, que foi a primeira. 


Além de uma série de informações sobre o setor de tecnologia, o site serve como espaço de integração entre empresas, incubadoras, instituições de ensino e investidores, entre outros públicos, que devem se cadastrar no portal. Um mapa interativo mostra a localização de cada uma. 


Marcela Vairo, executiva de Desenvolvimento de Ecossistema da IBM, diz que Londrina foi escolhida devido à "maturidade do seu ecossistema e o grande número de empresas de TI (Tecnologia da Informação)". "Também levamos em conta a união entre a iniciativa privado e o setor público da região", afirma. Ela cita ainda a atuação do Arranjo Produtivo Local (APL) de TI, do Sebrae e da Sercomtel, "todos olhando numa mesma direção, que é o desenvolvimento do setor". Segundo Marcela, mais importante que o portal é o que existe em volta dele. "São as startups, os empreendedores locais", declara. 


Já estão cadastradas no site 21 startups, 2 incubadoras, uma aceleradora, 3 workspaces, 5 instituições, 14 agências digitais, 39 empresas. O diretor de Ciência e Tecnologia do Instituto de Desenvolvimento de Londrina (Codel), Pedro José Granja Sella, explica que as próprias empresas e instituições devem fazer seus cadastros, que é aprovado por um moderador. "Também é possível cadastrar eventos da área", declara. Ele ressalta que ainda há poucos cadastros. "Estamos com apenas 21 startups, sendo que existem cerca de 120 na cidade", conta. 


Sella destaca ainda a seção de mentoria do portal, na qual profissionais da área de tecnologia, incluindo executivos da IBM se disponibilizam para ajudar quem deseja fazer empreendedorismo digital. "Também há guias práticos sobre como iniciar uma startup", explica. De acordo com o diretor, o portal vai sofrer atualizações constantes e ganhar novas seções, como a de empregos na área de tecnologia de informação, que deve ser uma das primeiras.


Leandro Martini, diretor da DroidTech, startup especializada em softwares para inovação, já cadastrou a empresa no portal. "Acho importante porque mostra a força do APL de Londrina e região e as empresas que temos. E também para mostrar o que a nossa empresa pode fazer", afirma ele. A startup foi criada em 2011 na Incubadora da UEL e acaba de se graduar. 

 

SIGLON


A Prefeitura aproveitou para inserir no portal o Sistema de Informação Geográficas de Londrina (Siglon). "São dados abertos pelo Município para a sociedade com um todo", conta o diretor da Codel. Pelo Siglon, é possível por exemplo saber os zoneamentos de cada região da cidade ou então onde estão localizadas as escolas, os postos de saúde, os rios, entre uma série de dados. Basta fazer a seleção que as informações aparecem no mapa da cidade.

 

Fonte: Folhaweb

Categoria: Cidades Digitais, Indústria, Investimento

Enviar comentário

voltar para Notícias

left tsN fwR uppercase show|left tsN fwR uppercase bsd b01s|left fwR uppercase show bsd b01s|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd c10|fsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase b01 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase bsd b01|content-inner||