Municípios buscam informações para investir em tecnologia

Publicado em 10/10/2014 às 09h47
Gestores públicos de mais de 30 municípios participaram no dia 9 da rodada regional de Londrina do II Congresso Paranaense de Cidades Digitais, promovido pela Rede Cidade Digital (RCD). Com o grande capital tecnológico que a cidade possui, o prefeito de Londrina, Alexandre Kireeff, destacou o envolvimento das diversas entidades, instituições de ensino e empresas para consolidar o município como referência tecnológica no país. "Londrina tem uma série de fatores que favorece esse tipo de iniciativa. Temos um Arranjo Produtivo Local muito consistente, universidades, institutos de pesquisas, uma empresa pública de telefonia e transmissão de dados, que é a Sercomtel, que cria condições de customização para uma série de serviços", citou o prefeito na abertura do evento.

A construção do Instituto Senai de Tecnologia, lembra o prefeito, é outro fator que faz com que Londrina seja reconhecida cada vez mais como referência no assunto. 

Além do trabalho de fomento à inclusão digital e melhorias na gestão pública, Kireeff adiantou que a sala de pregões da prefeitura terá transmissão ao vivo via internet. "Aquele gestor que investir nesse caminho vai criar o diferencial de empreender sua cidade", disse sobre a importância do investimento em tecnologia e modernização da gestão pública.

Na rodada regional, realizada na sede da Associação Comercial e Industrial de Londrina, foram apresentados diversos serviços de mercados oferecidos, por exemplo, pela Celepar, Instituto Curitiba de Informática (ICI), Copel Telecom, Sebrae e Exati Tecnologia, além de políticas públicas, como é o caso da Rede 399 - Internet para todos, programa lançado pelo governo do Paraná e que pretende disseminar o uso da internet banda larga por meio de uma parceria público-privada, que inclui uma série de benefícios fiscais às empresas participantes.

Em se tratando do Norte e Noroeste, 30% das localidades consideradas digitais estão concentradas nesta região do Estado. Segundo o diretor da RCD, José Marinho, o encontro desta quinta teve o propósito de "potencializar ainda mais a transformação de Londrina em pólo tecnológico". "E para que os governantes possam trabalhar cada vez mais sintonizados", completou Marinho.

A presidente da Comissão Permanente de Ciência e Tecnologia da Câmara Municipal de Londrina, vereadora Elza Correia, também reforçou a premissa de que não é possível imaginar cidades inteligentes sem o investimento em Tecnologia da Informação e Comunicação.

Já o presidente da Sercomtel, Christian Schneider, salientou os benefícios dos municípios desencadearem processos de implantação do Cidades Digitais. "A cidade digital possibilita a transmissão de dados e a cidade inteligente transforma os dados em qualidade de vida", resumiu Schneider.

Na opinião do vice-presidente da Agência de Desenvolvimento Terra Roxa Investimentos (TRI), Fernando Kireeff, é preciso pensar na smart region, ou seja, articular o processo tecnológico regionalmente e que não seja apenas uma tarefa individualizada de cada cidade. "O que estamos vendo hoje é apenas o começo. As coisas vão ficar muito mais complexas e se não acompanharmos vamos perder o diferencial competitivo. A tecnologia pode e deve ser utilizada como instrumento nesse grande desafio", afirmou.

Experiência de sucesso - O município de Ibiporã, que integra a região metropolitana de Londrina, é outro exemplo de localidade que investe em tecnologia para melhorar a gestão pública. De acordo com o secretário de Tecnologia da Informação, Junior Aliano, atualmente a cidade investe em rede de fibra ótica - contemplada através do projeto lançado pelo Ministério das Comunicações - e atua em diversas frentes, promovendo a inclusão digital e melhorando os serviços públicos.

Entre as iniciativas para transformar Ibiporã em cidade inteligente, o secretário cita a interligação dos prédios, aquisição de 77 lousas eletrônicas para a rede de ensino e a distribuição do sinal gratuito de internet à população. Na área da saúde, a prefeitura já atua com prontuários eletrônicos, o que facilita o trabalho nas unidades de saúde. Aliano acredita que ter uma infraestrutura própria ajuda o município e significa economia e qualidade na comunicação da rede.
 
Fonte: Rede Cidade Digital
Categoria: Cidades Digitais
Tags: Cidades Digitais, Norte do Paraná

Enviar comentário

voltar para Notícias

left tsN fwR uppercase show|left tsN fwR uppercase bsd b01s|left fwR uppercase show bsd b01s|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd c10|fsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase b01 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase bsd b01|content-inner||