Newsletter Outubro/2019 – Metrópole Paraná Norte e muito mais!

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Newsletter Terra Roxa
Terra Roxa Investimentos

Número 94 – Outubro de 2019

SAVE DE DATE : ENIT 2019 vem aí

 O ENIT 2019 – o Encontro de Negócios Internacionais – promovido pela ACIL – Associação Comercial e Industrial de Londrina, ACIM – Associação Comercial e Empresarial de Maringá, CIN/FIEP – Centro Internacional de Negócios e Federação das Indústrias do Estado do Paraná, Instituto Mercosul e Terra Roxa, será realizado neste mês de outubro, em Londrina, no dia 23 e em Maringá, no dia 24.

A iniciativa reúne empresas que atuam no campo internacional, como prestadores de serviço, organizações da área de comércio exterior e de logística internacional, além de estudantes e demais interessados no tema.

Os temas deste ano são “Panoramas e Oportunidades do Acordo Mercosul-União Europeia”, ministrado por Gustavo Ribeiro, Coordenador de Acesso a Mercados da Apex-Brasil, e “Conjuntura Econômica – Cenário Atual e Perspectivas”, pelo palestrante Marcelo Alves, Economista da FIEP.

O evento conta com o apoio da Apex-Brasil – Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos, Cacinp – Coordenadoria das Associações Comerciais e Empresarias do Norte do Paraná e Cacinor – Coordenadoria das Associações Comerciais e Empresariais do Norte e Noroeste do Paraná, e patrocínio da UniCesumar e NUSDA – Núcleo Setorial dos Despachantes Aduaneiros, Maringá.

A participação é gratuita e as inscrições podem ser feitas pelos links:

– Londrina: CLIQUE AQUI
– Maringá: CLIQUE AQUI

Plano Metrópole Paraná Norte realiza última audiência pública em outubro

No início de setembro foram realizadas mais duas oficinas do Plano Metrópole Paraná Norte, em Londrina e Maringá. Cada município, por meio de seus representantes, produziu um mapa de rede com as instituições que podem colaborar para a execução das ações futuramente. “É um desenho de como cada município pode contribuir para realizar o plano”, explica Cláudio Krüger, coordenador executivo do Plano Metrópole Paraná Norte.

 O Plano agora está na fase final. Após as oficinas, um relatório com todo o trabalho consolidado foi apresentado na última audiência publica do Plano, no dia 10 de outubro, no Auditório do Senac, em Apucarana. Na ocasião, a comunidade pôde contribuir para aprimorar a versão final do relatório e validá-lo. “Com isso as quatro etapas estão encerradas. Faltando apenas a conferência regional, para apresentação do trabalho realizado no formato de um livro, mais organizado graficamente para distribuição” reitera o coordenador.

Plano Metrópole Paraná Norte é apresentado no ECOPAR

 Um dos mais importantes encontros sobre economia, o XIII ECOPAR – Encontro de Economia Paranaense, foi realizado entre os dias 2 a 4 de outubro. No primeiro dia do evento, o Presidente da Terra Roxa, Valter Orsi, mediou um dos painéis temáticos que tratou de Desenvolvimento Regional, com foco no Plano Metrópole Paraná Norte.

Entre os debatedores estavam Claudio Marchand Krüger, coordenador executivo do Plano Metrópole Paraná Norte; Juliana Franco, diretora do CODEM (Conselho de Desenvolvimento Econômico de Maringá), Carlos Mendes, superintendente do Iddeplan (Instituto de Desenvolvimento, Planejamento e Pesquisa de Apucarana) e Tadeu Felismino, que chefia o Gabinete da Prefeitura de Londrina.

 No debate, foi apresentada a proposta de criação de uma governança organizada para envolver os 15 municípios-membros do plano. A diretora do CODEM, Juliana Franco, reforça que tal governança é fundamental para subir de nível no avanço da região, exemplo disso é o projeto do VLT (Veículo Leve sobre Trilhos), do Trem Pé Vermelho para interligar os municípios da região. “Esse projeto de transporte público conjugado entre municípios vai atrair mais investimento também para cidades menores, geralmente menos vistas na questão da mobilidade urbana, e ampliar essa ligação com um bom sistema de transporte é essencial para atrair outras iniciativas, como universidades e produção de conhecimento local”, defende.

Brazil Tech Roadshow na PUC– Londrina

O Paraná recebeu pela primeira vez o Brazil Tech Roadshow, promovido pelo Ministério do Comércio Internacional do Reino Unido, o DIT-UK no Brasil, para falar sobre o ambiente tecnológico britânico que hoje é referência em soluções de segurança cibernética e cloud computing (computação na nuvem),  entre outras áreas tecnológicas. Estiveram presentes na PUC Londrina, no dia 12 de setembro, o gerente de desenvolvimento de negócios do DIT-UK na área de tecnologia no Brasil, Cristiano Andrade, e o Cônsul Honorário do Reino Unido para o Paraná, Adam Patterson.

A proposta do evento, que também passou por cidades como Belo Horizonte e Curitiba, é apresentar o setor de tecnologia britânico para que empresas brasileiras também possam encontrar espaços de interação, com o apoio do ministério britânico na busca por investidores para concretizar parcerias bilaterais, além de apoio na busca por informações sobre programas de aceleração naquele país, contatos importantes, potenciais investidores, entre outras. Nas palavras do Cônsul britânico Adam Patterson, “a edição em Londrina foi a primeira a ser realizada fora das capitais brasileiras, o que mostra a importância da cidade e da região no cenário de tecnologia nacional. Foi uma importante oportunidade para reunir os stakeholders locais, debater formas de aproximação e trocar experiências.”

 Os laços históricos com o Paraná, com a vinda da Companhia de Terras Norte do Paraná no início do século XX e a fundação de 60 cidades na região norte do estado são exemplo de parceria bem-sucedida entre Brasil e Reino Unido, “com estas raízes históricas fortes podemos criar um novo futuro bilateral”, explica o Cônsul. É esta a expectativa para as relações após a saída do Reino Unido da União Europeia, com o Brexit, a partir de novembro. “Vamos continuar a fazer negócios com nossos amigos no continente, para entrar mais fortes no comércio mundial. Esta movimentação é muito positiva pela ótica da relação bilateral entre Reino Unido e Brasil, uma relação que está cada vez mais forte”, defende Patterson.

Edição do Eco.tic reuniu setores para falar de Inteligência Artificial

O Eco.tic teve mais uma edição anual em Londrina. Já tradicional no calendário de eventos do setor de Tecnologia da Informação e Comunicação no norte do Paraná, o encontro deste ano abordou o tema da Inteligência Artificial (IA).

 A Terra Roxa participou como convidada e teve a oportunidade de interagir com os presentes, apresentando a região norte do Paraná, inclusive a representantes estrangeiros de Israel e Estônia que proferiram palestras no evento. No caso estoniano, a palestra magna de Kristina Reinsalu, apresentou o sistema de e-Governance implementado pelo governo e quais os benefícios gerados para o país que veio a se tornar o mais digital do mundo. Entre os resultados da gestão digitalizada está um ambiente de negócios mais facilitado, os serviços públicos 99% digitalizados, além de mais transparência na governança com proximidade ao cidadão e menos tempo gasto com atividades burocráticas.

A palestrante israelense, Rina Feinstein, mostrou como Israel se preparou para ser um ecossistema de inovação hoje reconhecido mundialmente. Entre as práticas adotadas estão envolvimento do setor privado na construção de programas de inovação, investimentos altos em pesquisa e desenvolvimento, apoio a projetos vindos das universidade e aposta na internacionalização da economia.

Para a Terra Roxa, o encontro com esses atores durante a edição deste ano foi importante, já que além do ganho ao aprender com exposições feitas, houve mais espaço para interação, troca de experiências e aproximação mais estratégica com os que visitaram a região. “Esse foi o foco para a Terra Roxa: levar conhecimento, mostrar o desenvolvimento que alcançamos aqui na região e abrir novos canais de comunicação”, comenta o diretor-executivo, Alexandre Farina.

Hub de Inteligência Artificial é inaugurado em Londrina

Londrina recebeu mais uma iniciativa que fortalece o ecossistema de tecnologia de informação já consolidado na região, é o Hub de Inteligência Artificial. As condições favoráveis já existentes foram decisivas para que esse projeto fosse concretizado pela CNI (Confederação Nacional da Indústria) e Senai Nacional, com apoio da FIEP (Federação das Indústrias do Estado do Paraná).

O Hub vai criar um ambiente de inovação por conectar as demandas e oportunidades entre empresas, academia e startups ligadas à inteligência artificial, machine learning (aprendizagem de máquina) e cloud computing (computação na nuvem). A expectativa é  que profissionais sejam melhor qualificados, novas tecnologias surjam e dificuldades dos setores envolvidos sejam solucionadas. Além do benefício a todo o estado, a região poderá ser referência para o país como um todo. A Terra Roxa comemora que mais este investimento na região poderá consolidar esforços para uma atividade com grande potencial econômico, como é o setor de tecnologia e inovação. É um olhar para o futuro da indústria e para possibilidades de avanço como um todo para a região, pautas tão claras à Terra Roxa.

Terra Roxa visita Santa Rita do Sapucaí (MG) em missão do Sebrae

A Terra Roxa integrou a missão do Sebrae Londrina em visita à cidade de Santa Rita do Sapucaí, em Minas Gerais. Uma cidade de apenas 40 mil habitantes, mas um pujante polo de inovação e de soluções em eletrônica, telecomunicações e informática. O impulso para que a cidade se tornasse o Vale da Eletrônica, como hoje é conhecida, veio em 1959, com a iniciativa de Luzia Rennó Moreira, a Sinhá Moreira, que trabalhou pela construção da ETE (Escola Técnica de Eletrônica), a primeira deste tipo na América Latina. Depois o Inatel (Instituto Nacional de Telecomunicações), centro de ensino e pesquisa com o primeiro curso superior em telecomunicação, foi estabelecido para formar profissionais e pesquisadores que atuam para alcançar novas soluções com inovação.

 Empresas como Ericsson e Hitachi estão há decadas instaladas na cidade para aproveitar a vocação da pesquisa e da inovação fomentadas em Santa Rita. Mais tarde Vivo, Claro, entre outras organizações, também se aproximaram do polo inovador ali construído. A cidade conta ainda com um Programa de Inovação no âmbito municipal, ofertando apoio a empresas e projetos tecnológicos, feiras tecnológicas e à cultura da criatividade. Para o diretor-executivo da TR, Alexandre Farina, que acompanhou a missão, fica claro o papel do sistema educacional aliado à atitude de pessoas com visão estratégica para que essa grande conquista fosse possível. “Precisamos da sociedade civil organizada e ativa para construir um ecossistema como este, assim como um ambiente que produza conhecimento e gere uma retroalimentação em ciclos”, complementa.

Missão:

”Ser um agente independente para atrair novos investimentos e promover negócios, integrando e desenvolvendo os setores econômicos da região Norte do Paraná”.


Caso não desejar receber mais este informativo, por gentileza responda esta mensagem com o assunto REMOVER.