Klabin vai abrir até 5 mil vagas de emprego em nova fase de obras

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

“Em plena fase da construção civil, área responsável pela maior parte das contratações, e prestes a iniciar a montagem eletromecânica (implantação da infraestrutura fabril), a Klabin entrará em breve em uma nova fase das obras no Projeto Puma II – maior investimento privado da história do estado, de R$ 9,1 bilhões, em Ortigueira.

Conjunta, a fase com construção civil e montagem eletromecânica, é o período de maior concentração de mão de obra. Segundo a empresa, nesta fase, cuja maior movimentação ocorre entre os meses de abril e agosto deste ano, estima-se que sejam contratados cerca de mais 4 a 5 mil trabalhadores pelas empresas participantes do projeto.

Para tocar o projeto, a Klabin está dando continuidade às contratações por meio das Agências do Trabalhador. No último dia 28, uma reunião com a Secretaria de Estado da Justiça, Família e Trabalho (Sejuf) definiu estratégias para a captação de mão de obra na região.

Inicialmente, as novas contratações estão sendo feitas pelas Agências do Trabalhador de Ortigueira, Telêmaco Borba e Imbaú – área de abrangência da fábrica. “As empresas contratadas para a construção e montagem industrial estão abertas para estabelecer parcerias com as Agências do Trabalhador, buscando simplificar processos e melhorar a forma da divulgação das vagas, para que todos com condições de empregabilidade tenham a mesma oportunidade de um novo emprego”, diz Sales Bueno, gerente de Gente e Gestão do Projeto Puma II.

Vagas atuais
Estão abertas vagas no momento vagas para carpinteiro, armador de ferro, mecânico de montador, de manutenção, ajustador, soldador, caldeireiro, eletricista industrial e ajudante.

Na visão da empresa, captar mão de obra com pessoas adaptadas à região além de fortalecer a economia local gera um menor impacto na infraestrutura das cidades. Hoje o Projeto Puma II conta com quase 4 mil trabalhadores (contratados desde julho de 2019), sendo 51% de Ortigueira, Telêmaco Borba e Imbaú – ao todo 77% dos trabalhadores são do Paraná. Pelo pagamentos de salários, mensalmente são injetados cerca de R$ 1,5 milhão na economia local (em Ortigueira). Até a conclusão da obra prevista para 2023, 11 mil vagas devem ser geradas.

Segundo a Sejuf, além do recrutamento nas agências dos municípios citados, um ônibus deve percorrer a região em outras cidades e distritos próximos, a Agência do Trabalhador Itinerante. “O ônibus itinerante irá até os distritos próximos para recrutar trabalhadores que não têm condição se deslocar até uma agência do trabalhador”, explica o secretário Ney Leprevost. A Sejuf informou ainda que não há um cronograma específico para esse processo. Caso as vagas não sejam todas preenchidas na região, a Sejuf diz que vai ampliar a oferta das vagas para agências de outras cidades do estado.

Puma II
O novo empreendimento da Klabin em Ortigueira, o Projeto Puma II terá a construção de duas máquinas de papel para embalagens (kraftliner), com produção de celulose integrada (920 mil toneladas anuais). A maior parte dos equipamentos será instalada na primeira etapa do projeto – com capacidade de 450 mil toneladas anuais –, que deve ser concluída até junho de 2021. A unidade Puma I entregue em 2016 já produz celulose branqueada com capacidade anual de 1,6 milhão de toneladas.

Dentro do investimento de R$ 9,1 bilhões, R$ 450 milhões serão investidos em obras de infraestrutura nas malhas viárias da região do projeto.

Quando concluído, o projeto Puma II tem potencial de geração de ICMS incremental de até R$ 200 milhões por ano ao estado, além do impacto no comércio, serviços e arrecadação municipal.”

Fonte: Gazeta do Povo