Projetos de infraestrutura são apresentados na Região Norte

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

O secretário de Estado de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, esteve nesta sexta-feira (29) em Londrina para apresentar os projetos, ações e os investimentos que o Estado vem fazendo nos diferentes modais para desenvolver ainda mais o setor produtivo da região. Ele participou do Fórum Empresarial Infraestrutura e Logística no Paraná, promovido pela Associação Comercial e Industrial de Londrina (Acil).

“Quem leva as riquezas pelas nossas vias até os Portos do Paraná são esses municípios, são essas regiões do Estado. Os portos têm os números que têm também pela riqueza gerada pelo povo paranaense, que vem de inúmeras regiões, como essas que fazemos questão de visitar”, afirmou Sandro Alex.

Ele destacou que um fórum nos mesmos moldes foi realizado em setembro em Ponta Grossa, na região dos Campos Gerais. Agora, é a demanda do Norte do Paraná que está sendo atendida.

“Antes, o setor produtivo dessas regiões não participava e não tinha as informações. Hoje fazemos uma gestão compartilhada com os municípios. Tudo está sendo pensado para criar no Estado um verdadeiro corredor de exportação”, pontua.

De acordo com Sandro Alex, Londrina e região ainda têm muito potencial a ser explorado, apesar de serem responsáveis pela movimentação de muitos produtos pelos portos paranaenses. Neste ano, até outubro, foram quase 171 mil toneladas apenas de granéis sólidos para exportação – soja, milho, farelo e açúcar.

“Se a região tivesse recebido mais investimentos em infraestrutura nas últimas décadas, poderia gerar números ainda melhores em função do tamanho e da importância que tem. Estamos fazendo essas correções, com muita transparência e clareza”, disse Sandro Alex.

Entre os projetos, o secretário destacou os viadutos na Bratislava (Cambé) e Vezozzo (Londrina), obras do Contorno e o Viaduto da PUC em Londrina, além da duplicação da PR-445 até Mauá da Serra. Até outubro de 2020 será finalizada a etapa até Irerê e, em março, será concluída a licitação para o projeto até Mauá da Serra. Com investimentos de R$ 6 milhões, o projeto contempla 49 quilômetros.

RODOVIAS – Além de projetos, o diretor do DER/PR, Fernando Furiatti, apresentou os programas de financiamento para obras nas principais rodovias do Estado. Ele falou ainda sobre a melhoria dos acessos ao Porto de Paranaguá, do programa de recuperação e conservação de estradas, do Banco de Projetos e do novo Anel de Integração.

“Com o novo pacote de concessões, passaremos dos 2,5 mil quilômetros administrados por concessionárias para 4,1 mil. Isso vai baratear o custo para os usuários, além de gerar mais investimentos na malha rodoviária do Paraná”, afirma.

Segundo Furiatti, a duplicação da PR-445, tão esperada por Londrina e região, também faz parte dos investimentos do Estado na infraestrutura e logística, com os recursos provenientes dos recentes acordos de leniência. “São R$ 365 milhões, e outros recursos que podem vir em novos acordos, que serão revertidos em duplicações”.

FERROVIA – Durante o fórum, o presidente da Ferroeste, André Luis Gonçalves, abordou o desempenho da empresa, que neste ano quase zerou um prejuízo que, segundo ele, era histórico. “Além de melhorar a gestão e os números internos, estamos desenvolvendo projetos e vencendo muitos pontos críticos”, afirma.

Um dos projetos destacados é o Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica, Ambiental e Jurídica da ligação ferroviária entre Maracaju (MS) e os Portos do Paraná. “Esse estudo vai considerar as características das cargas transportadas e a projeção da demanda para os próximos anos. Vai impactar todas as regiões produtivas do Estado”, afirma.

Segundo Gonçalves, o estudo deve estar pronto até abril de 2021. “Vamos avaliar a melhor modelagem para, concluídos os estudos, com apoio do Ministério do Transporte, levar o trecho a leilão”, explicou.

PORTOS – O diretor jurídico da empresa pública Portos do Paraná, Marcus Freitas, reforçou a eficiência da gestão dos terminais paranaenses. “A participação nesses fóruns são oportunidades que os portos têm de se comunicar com os paranaenses. O que não acontecia no passado, hoje está acontecendo. Temos a oportunidade de mostrar toda a nossa operação produtiva. Para nós, enquanto portos, Londrina e Região têm muita força”.

Freitas ressaltou que a Portos do Paraná e os demais órgãos da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística trabalham integrados para desenvolver o setor produtivo do Estado. “Sendo eficientes no escoamento da produção, de forma integrada e conjunta, desenvolvemos o Estado como um todo”.

INTERAÇÃO – O presidente da Acil, Fernando Moraes, falou sobre a importância de desenvolver e pensar a infraestrutura do Estado. “É com infraestrutura que o mercado cresce e fica mais pujante”, afirma.

O evento foi organizo pela Comissão de Infraestrutura do Norte do Paraná, entidade da qual a Acil faz parte. O representante da comissão, Gerson Guariente, também presidente do Sinduscon (Londrina), reforçou as demandas da região para a pasta, mas fez questão de destacar a disposição do Governo do Estado em atendê-las.

“A gente já vem trabalhando com a equipe da infraestrutura do Estado e já temos recebido respostas. Essa vinda do Governo para tratar conosco aqui para nós é fundamental”, disse referindo-se aos projetos apresentados pelos representantes da secretaria estadual no evento.

Fonte: AEN