Unicesumar projeta expansão

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Com 30 anos de existência em 2020, a Unicesumar projeta sua expansão, o que inclui Londrina, onde a instituição conta com uma unidade desde 2017. Em todo o Paraná são quatro polos: Maringá, a sede, Curitiba e Ponta Grossa, além de Londrina. Em três décadas foram formados mais de 103 mil alunos e o atual ano letivo está começando com 250 mil matrículas em todo o Brasil. 

Unicesumar projeta expansão
Divulgação

A universidade tem na segunda maior cidade do Estado um terreno de 33 mil metros quadrados, sendo 8,5 mil metros de área construída. Um terreno que fica em frente ao prédio também pertence à Unicesumar, somando mais 18 mil metros quadrados. “Estamos preparados para a expansão física e deixamos espaço para isso”, destacou o reitor da instituição de ensino, Wilson de Matos Silva. O investimento em contrapartida na cidade foi superior a R$ 5 milhões nos últimos anos. 

Na visão do empresário e docente, o crescimento do campo educacional no Brasil tem perspectiva positiva, com a retomada da economia. “Entendemos que esse crescimento não está sendo maior no País por conta da dificuldade econômica que o Brasil ‘mergulhou’ nos últimos anos. Começamos agora, economicamente, a recuperação e certamente a retomada do crescimento das matrículas”, avaliou. 

MEDICINA

Um dos pleitos da universidade é oferecer o curso de medicina em Londrina, o que depende de liberação do Governo Federal, que atualmente está focado no programa Mais Médicos, que vai implantar faculdades de medicina em municípios que não contam com o curso. “Londrina tem uma demanda grande por mais cursos de medicina, dado o número baixo de oferta pelas duas instituições na cidade que contam com a medicina.” 

Em Maringá, por exemplo, só a Unicesumar dispõe de 300 vagas em medicina, número muito superior ao que Londrina tem no todo. Neste ano, a instituição irá iniciar o curso em Corumbá, no Mato Grosso do Sul, por meio do programa Mais Médicos. Também poderá inaugurar, em breve, um polo de cursos presenciais em várias áreas em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, o que está em análise.

INOVAÇÃO

Em Londrina são dez cursos presenciais sendo oferecidos, com a novidade da odontologia. Além disso, são mais de 60 cursos EAD (Ensino a Distância) e 90 de pós-graduação. A aposta para este ano é no campo da saúde, abrangendo os cursos de nutrição, biomedicina e nutrição. “Londrina precisa para o atendimento da cidade e desenvolvimento”, apontou Wilson de Matos Silva. O grupo educacional está entre os dez maiores do Brasil. 

Outro empenho é em relação ao EAD, que vem ganhando cada vez mais notoriedade. Uma proposta lançada aos aproximadamente mil professores do corpo docente é de que os alunos criem produtos ou inovem processos a cada semestre. “Se a universidade não despertar para isso ela será substituída por minicursos que o mundo desenvolvido tem oferecido e espalhando para todos os países”, alertou. “Nossa luta é por uma educação que transforme a sociedade”, acrescentou. 

As aulas para os veteranos se iniciam nesta terça-feira (11), enquanto para os calouros o primeiro dia está programado para a próxima segunda-feira (17). 

Fonte: Folha de Londrina